Sinal vermelho: elas precisam de um pouco mais do que flores.

O mês de março foi recebido com flores, presentes e conscientização.

O dia internacional da mulher foi comemorado em Artur Nogueira com um café da manhã exclusivo para convidadas especiais. O evento foi uma iniciativa das secretarias de educação, saúde e assistência e desenvolvimento social. Estiveram presentes cerca de quatrocentas pessoas e diversas autoridades da cidade.

Os discursos proferidos homenagearam as mulheres nogueirenses, mas não deixaram passar batido a realidade das mulheres brasileiras. De acordo com estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS), entre os 83 países mais violentos para mulheres, o Brasil está em sétima posição. Elaine Vicensotti Boer, secretária de educação e uma das organizadoras do evento, ressaltou essa realidade: “infelizmente ainda vivemos em um mundo que o machismo se faz presente. Não podemos mais ver as coisas acontecendo e continuar sem fazer nada!”, desabafou a secretária.

O prefeito, Ivan Vicensotti, fez questão de ressaltar sobre os cuidados que as mulheres precisam receber: “Elas nos dão vida e toda atenção é pouca comparada ao que elas fazem por nós”, afirmou o prefeito. Durante a fala, Ivan ainda fez menção ao caso ocorrido na cidade.

Na madrugada da última quarta-feira (07), Ana Paula Araújo foi brutalmente assassinada. O maior suspeito é o ex-marido, que não aceitou o novo relacionamento da vítima. Durante o café da manhã especial, foi dedicado à Ana Paula e todas as vítimas brasileiras, um minuto de silêncio. Em discurso, Ivan Vicensotti divulgou a nova campanha de Artur Nogueira em combate à violência contra a mulher.

A cerimônia abriu as ações especiais do mês das mulheres que começam a funcionar a partir de sexta-feira (09).

 

Relacionadas