Defesa Civil combate incêndio criminoso em área verde

Equipe foi acionada após denúncia de duas crianças que costumam brincar no local

A Defesa Civil de Artur Nogueira combateu um incêndio criminoso, na tarde desta quinta-feira (28), em uma área verde da Prefeitura, localizada no Jardim Ipê. A equipe foi acionada após denúncia de duas crianças que costumam brincar no local.  

De acordo com o coordenador do departamento, Cícero Gomes, o fogo atingiu cerca de 4 mil metros quadrados da área, mas poderia ter sido pior se a equipe não tivesse chegado a tempo. “Só queimou isto porque chegamos rápido. Se o fogo tivesse passado para a área de preservação teria sido muito mais grave”. 

É CRIME

A Defesa Civil destaca que o ato de colocar fogo em mato ou lixo, mesmo quando dentro de propriedade particular, é considerado crime. Isto porque resíduos de materiais queimados são jogados na atmosfera, causando poluição e possíveis danos à saúde, o que é punido pela Lei Nº 9.605/1998, que é a Lei de Crimes Ambientais. Além disso, a prática criminosa oferece riscos às espécies da fauna e flora do local.

As denúncias de incêndios criminosos podem ser feitas pelo telefone 153. “Assim que feita a denúncia, o pessoal da GCM entra em contato conosco no mesmo momento. Hoje é proibido qualquer tipo de queimada, onde se a pessoa for pega estará sujeita a multa ou até um detenção”, ressaltou Gomes. 

TREINAMENTO

Na última quarta-feira (26), a equipe da Defesa Civil de Artur Nogueira participou de um treinamento. A capacitação teve início às 9h no Núcleo Administrativo e se estendeu para atividades práticas em área externa. A iniciativa, denominada “Operação Corta-Fogo 2021”, contou com a participação da Defesa Civil de Engenheiro Coelho e Cosmópolis.

O objetivo de treinamento como esse, segundo o secretário de Segurança dr Roberto Daher, é minimizar os efeitos previsíveis que ocorrem na cidade no período de estiagem, otimizar os recursos existentes e antecipar os riscos, em função da baixa umidade do ar, de quedas bruscas de temperatura e de falta de chuvas. Ele afirma que novos treinamentos devem ser dados ao longo dos próximos meses, como lidar com desmaio, convulsão, animais peçonhentos, entre outros primeiros socorros.

Relacionadas