AGOSTO LILÁS: Blitz educativa orienta centenas de pessoas em Artur Nogueira sobre violência contra mulher

Ação apresentou o programa “Guardião da Mulher” para diversos comércios da cidade 

A Prefeitura de Artur Nogueira, por meio das secretarias de Segurança e Assistência e Desenvolvimento Social, Coordenadoria de Apoio à Mulher e, em parceria com a secretaria de Segurança, realizou, neste sábado (7), uma Blitz para apresentar o programa “Guardião da Mulher”. A ação incorpora as atividades do Agosto Lilás, mês de proteção à mulher em referência à sanção da Lei Maria da Penha (Lei Federal nº 11.340/ 2006), criada com o intuito de combater casos de violência doméstica no Brasil.

A Blitz passou nos centros comerciais da cidade orientando a população por meio de cartilhas que esclarecem sobre os meios pelos quais a pessoa pode fazer a denúncia. Dentre as orientações, destaca-se a do aplicativo “Guardião da Mulher”, no qual a vítima que sofreu qualquer tipo de violência, especialmente física ou sexual, aciona o botão de pânico e a viatura do patrulhamento é enviada automaticamente para o local onde foi emitido o sinal do celular em georreferenciamento. 

Dessa forma, o socorro ganha agilidade ao pular a etapa de triagem pela qual passam as ligações que são feitas pelos telefones 190 e 153.

O secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Amarildo Boer, acompanhou a Blitz e destaca que esta não será a única ação do mês. “As secretarias se reuniram e juntos nós conseguimos alcançar centenas de pessoas com a campanha. Também decidimos que haverá outra Blitz no dia 14, e a patrulha Guardião da Mulher continuará nos auxiliando na campanha de conscientização”, afirma.

EM BRIGA DE MARIDO E MULHER, META A COLHER!

A denúncia contra violência doméstica pode ser realizada através da delegacia do município, na Guarda Municipal pelos telefones fixos: 3877-1823 (também WhatsApp) ou 153, ou através dos disque 180 que é um serviço de utilidade pública essencial para o enfrentamento à violência. Além de receber denúncias de violações contra as mulheres, a central encaminha o conteúdo dos relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos.

O serviço também tem a atribuição de orientar mulheres em situação de violência, direcionando-as para os serviços especializados da rede de atendimento. No ligue 180, ainda é possível se informar sobre os direitos, a legislação vigente sobre o tema e a rede de atendimento e acolhimento de mulheres em situação de vulnerabilidade.

Mesmo que a vítima não registre Boletim de Ocorrência contra o agressor, vizinhos, amigos, parentes ou desconhecidos também podem utilizar os canais ou ir a uma delegacia para denunciar uma agressão que tenham presenciado. O autor da denúncia pode ser ainda o Ministério Público.

Relacionadas